A letter to Manu's video commenteers

Dear Emanuelle's commenteers,

How's it going?

Emanuelle Thomaziello, a furadora do Pixuleco, respondeu aos comentários sobre o video dela defendendo o ex-presidente Lula. Suas análises sobre os comentários são cheias de preconceito e outras ideias nonsense.

Emanuelle is really delusional.

Segundo ela, os ricos estão com "medo" de dividir a sala de aula da faculdade com os pobres. Quem cita a palavra "medo", é a autora do texto, senhorita Manu. Ricos com medo de pobres? O indivíduo pobre promove MEDO? Isso nem faz sentido.

Todos os brasileiros vivem o medo rotineiramente, tão intrinsicamente, que achamos normal gradear janelas e não poder andar calmamente nas ruas de noite.

Os pobres, os de classe média e os ricos do Brasil tem MEDO de tudo e de TODOS. Não confiamos nas palavras. Não cremos em políticos. Não confiamos na polícia. Não confiamos em médicos. Não confiamos no vizinho, no taxista, no advogado, nas vacinas, no mecânico, no gerente do banco... Tudo é cartório e fiador... Sufocante.

Ela cita que uma socialite se ofendeu porque  mal-vestidos estão pegando avião com ela. Para as socialites, eu penso, todo mundo deve andar mal-vestido mesmo. É por pensar assim que elas são chamadas "SOCIALITE". Se a Manu associa ser pobre com "andar mal-vestido", bem; o julgamento está sendo feito pela autora do texto, again. Delusional, isn't it?

Política de Cotas é XENOFOBIA sim. Só que para esquerdopatas, essa XENOFOBIA pode!

"A elite tem raiva do crescimento econômico do nordeste..." Como assim? Qual crescimento econômico? E elite de qual região do Brasil? Se o nordeste estivesse realmente crescendo economicamente, duvido que a elite nordestina estaria com raiva.

Manu foi muito criativa tbm quando escreve, "E esse ódio não é de agora! A ânsia da elite por  condições de privilégio existiu em meados do século XIX..." Impressionante que antes disso, ninguém nunca ansiou por privilégios. E os ricos de hoje, eles são ricos devido a privilégios? Really?

Que brilhante, para o século XIX, desenvolver o conceito de classes sociais, e mais tarde  acreditar que uma oprime a outra. Isso deve ter sido muito revolucionário mesmo, para o século XIX.

Se é fato de que há muitos pobres, porque há os ricos; uhmm... já que minha família é pobre e numerosa, deveríamos combinar um suicídio coletivo, para ver se nascem mais ricos no mundo.

Thanks, Manu for providing me enlightenment.

Truly yours,
Laila C. Batista
;)

Comments

Popular Posts